terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Resenha: O Que Há De Estranho Em Mim, Gayle Forman

Título: O Que Há De Estranho Em Mim
Título Original: Sisters In Sanity
Autora: Gayle Forman
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 224
Compre no Amazon
Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.

Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.

Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.

Brit um dia teve a família perfeita, os melhores pais do mundo e até coloriu desenhos com Kurt Cobain! Mas isso mudou quando sua mãe desapareceu e seu pai casou-se de novo, Brit que antes tinha total atenção e amor de seus pais, agora seu refúgio é Clod, a banda em que toca com seus amigos Erick, Denise e Jed.
Brit é uma garota normal, mas nem todos a vêem assim, pois tem cabelos coloridos, tatuagens e piercings.
Quando a banda está prestes a tocar em um importante festival, Brit é levada pelo pai para a Red Rock, um centro de recuperação para jovens "problemáticas".
A forma que eles tratam as garotas é desumana, e como diz a sinopse a terapia consiste em as jovens xingarem umas as outras e dedurarem umas as outras para subir de nível, que são seis, e quanto mais alto mais benefícios terão e quem sabe mais perto de se verem livres desse lugar.
Só que as garotas que estão lá, estão por não estarem dentro dos padrões que a sociedade exige, são garotas como Brit, garotas obesas, anoréxicas, homossexuais, e ainda assim recebem o pior tratamento possível. Os pais não sabem é claro, querem apenas que as filhas saiam de lá "curadas".
Em meio ao inferno, o improvável acontece, Brit faz amigas, mais que isso, ganha irmãs.
V, Bebe, Martha e Cassie se tornam fundamentais para Brit suportar os dias na Red Rock.
Brit e as quatro garotas unem forças para superarem tudo e quem sabe conseguir uma forma de se verem livres de lá.

Amassei o bilhete e sorri. Alguém se preocupava comigo, afinal.

Apesar de não parecer, O Que Há De Estranho Em Mim não tem uma carga dramática muito forte, tem  até uma certa leveza.
Claro que fiquei revoltada em ver como as meninas eram tratadas, e com os motivos para serem enviadas para lá, mas a história mostra o poder da amizade, do amor, do perdão.
Tem um pouco de romance, mas não é o foco.

A leitura flui super bem e a narrativa em primeira pessoa, pela própria Brit é leve e descontraída. Li o livro em um ou dois dias.

Não teve nenhum personagem pelo qual caí de amores, mas gostei de praticamente todos de um modo geral, odiei os "chefes" do lugar e fiquei um pouco chocada com algumas meninas que sofriam da síndrome de estocolmo.

Como eu disse, o livro não tem uma carga dramática muito forte, mas é uma leitura que super vale a pena, gostei bastante dele.

(...) o único jeito de encontrar uma resposta era parar de uma vez por todas de me perguntar.


20 comentários:

  1. Oiee, verdade o livro não tem uma carga dramática forte, mas é um livro que chama atenção pela instituição que Brit foi colocada, autora quis chamar atenção para esse tipo de lugar, que existe de verdade.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. eu fiquei bem a fim de ler pra conhecer a escrita de Gayle, pois descobri que tem uma narrativa diferente dos titulos que ela lançou posteriormente... sem contar que a temática abordada muito me interessa...

    ResponderExcluir
  3. Oiii
    Fiquei com muita vontade de conhecer sobre este livro, o enredo parece ser forte e isso me deixou animada. Faz tempo que não leio um livro deste tema e adoraria ter essa oportunidade logo!
    Beijão

    ResponderExcluir
  4. Só tenho ouvido elogios sobre esse livro. A autora sempre consegue nos emocionar com os livros dela, mas pelo que você disse esse não foi assim tão emocionante.

    Bjs.

    Ciadoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, essa obra está fazendo muito sucesso...muitas resenhas surgindo, acho que vou conferir também!

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    através da sua resenha que por sinal está muito boa, esse livro acabou prendendo minha atenção e gerando curiosidade. Da Gayle tenho apenas Eu estive aqui, que por sinal é muito bom. Parabéns pelo post, gostei! www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  7. Angélica, nunca li nada da autora, mas tenho muita vontade e esse foi um dos que me chamou mais atenção.
    Gostei da premissa da história e o fato de não ter tanta carga dramática me agradou ainda mais.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Não li nenhum livro da autora, mas quero começar por esse já é a segunda resenha que leio que me fez querer conhecer Brit e sua história. Vi um mini doc que falava sobre essas clínicas de antigamente e os depoimentos eram perturbadores. É bacana que a autora trouxe um tema que chama atenção, pois esse tipo de instituição ainda existem.


    Beijos.
    www.escritacolorida.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie
    eu adoro a autora e estou muito curiosa por esse livro, é exatamente o gênero que curto ler e espero ler em breve, sua resenha etá ótima e me deixou bem curiosa

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Se a proposta da autora é justamente levar o leitor a pensar, acho que alcançou seu objetivo. :) Gostei de saber que esse livro, embora não a tenha feito cair de amores, a fez se colocar um pouco no lugar dessas meninas. Infelizmente, é uma realidade que existe (e até pior) no nosso país.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Fiz essa leitura no comecinho do mês e gostei demais. Foi meu segundo contato com a escrita da Gayle Forman e já quero ler outros livros dela. Gostei da forma como ela desenvolveu a narrativa e tratou de assuntos "fortes" com certa leveza.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oii Angelica!!
    EU sou uma fã assumida da Gayle e por conta disso esse livro já está nos meus desejados.
    A resenha me deixou muito curiosa quanto a historia, mas tenho certeza que vou chorar lendo hahaha

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho tanta vontade de ler esse livro... mas estou naquele velho dilema dos leitores... muitos livros e pouco tempo... rsrsrsrs
    Adorei sua Resenha!!

    Bjss
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oiee,
    Eu adoro a Gayle e quero muito ler esse livro, espero gostar muito dele.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá,
    Esse livro se tornou o queridinho muito rápido hahahahahaahh, vejo falar muito dele nas redes sociais, mas ainda não me senti conquistada para lê-lo e apesar de ter gostado muito da sua resenha, ainda vou esperar mais um pouco!

    Beijokas
    Paraíso das Ideias

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Pequei esse livro para ler esperando justamente essa carga dramática que não veio. Mas eu gostei muito do livro, achei impactante as informações sobre a instituição, principalmente por saber que lugares assim se multiplicam por aí.
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  17. Angélica, pretendo ler esse livro em breve! E aproveito pra te dizer que a sua resenha me abriu os olhos e meio que alinhou minhas expectativas. Eu estava achando que o livro traria mais carga dramática do que ele realmente traz, e isso com certeza me causaria uma frustração.
    Gostei muito do seu texto.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bom?

    Que interessante! Esse lugar onde as meninas são levadas me lembrou o lugar do filme Sucker Punch, não sei se você já assistiu. Gostei bastante da premissa e gostei de saber que o foco não é o romance, como acontece na maioria dos livros. Obrigado pela dica!

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Que lindo ver um livro escrito por mulheres onde o foco é a amizade entre um grupo de amigas. Geralmente, somos retratadas na literatura (e ficção em geral) como competidoras e inimigas naturais, o que não é verdade. Li "Se eu Ficar" da autora e gostei bastante, mesmo encontrando algumas coias que não me agradavam. Creio que a escritora deve ter amadurecido bastante sua escrita. E, por fim: sororidade é a coisa mais linda desse mundo <3

    Abraços,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura.

    ResponderExcluir
  20. Oi flor,
    Tudo? Voltando a vida virtual vim te visitar.
    Tenho dúvidas em relação a esse livro não sei se vou gostar dele ou não, parece aquele tipo de livro que tem o momento certo para ler entende? Vamos ver quando chegará o meu.
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © A. Libri | Layout e personalização por VR Design