quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Melhores do Ano: 2015

Olá pessoal!

Mais um ano se vai, com altos e baixos, mas de um modo geral foi um ano incrível!
Fechei parcerias lindas e leituras incríveis, mesmo que nos últimos meses por motivos de força maior tive que diminuir o ritmo e tenha lido menos do que queria.

A princípio tinha separado um livro por mês, exceto setembro, que foi o mês que não li nada, mas então lembrei de livros que não poderiam ficar de fora e dos mais ou menos 70 que li este ano, separei 14 que foram os melhores!


Eles não estão na ordem de preferência e nem na ordem de leitura, mas odos foram muito especiais e leituras maravilhosas!

Uma distopia com personagens fortes e também apaixonantes, leia AQUI a resenha.

Padma é um romance lindo sobre segundas chances, o poder do perdão e a resenha sairá no blog até a próxima semana!  

No Mundo da Luna foi o livro da Carina que mais gostei, leia AQUI a resenha.

Destinado é um dos livros que já rascunhei a resenha mas ainda não consegui postar. Neste livro, Ian consegue ser ainda mais apaixonante!

Com um enredo surpreendente e inovador, FML Pepper prova que é uma das melhores autoras dessa nova geração! Leia AQUI a resenha.

Dos livros da IAN que li até agora, Amante Desperto foi o que mais gostei, Zsadist tem uma história muito triste e me apaixonei por ele hahaha! Leia AQUI a resenha.

Este é simplesmente incrível, trás  a história do Deus Shiva. Leia AQUI a resenha. 

Livro que tem desde romance à rituais macabros. Incrível. Leia AQUI a resenha.

Sem dúvidas esse foi o livro que mais me fez chorar esse ano. Leia AQUI a resenha.

Este foi o livro mais lindo do ano, o Archer é perfeito. Leia AQUI a resenha.

Segundo livro da série lançado no Brasil, tão lindo quanto o Archer. Leia AQUI a resenha.

Thomas Maddoxxxxx! Socorro, que homem é esse?! Um Maddox não poderia ficar de ora dos melhores. Em breve resenha.

Recheado de Legião Urbana, este livro só me provou que estou certa em amar as histórias da Leila Rego! Leia AQUI a resenha.

Outro livro lindooooo! Uma história diferente, entre um detento e uma professora e também conquistou meu coração. Leia AQUI a resenha.

Esses foram os melhores do ano!

Feliz ano novo galera!

Beijos!



terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Periguetagem literária: Amores de 2015

Olá pessoal!

Estou nesse vai e vem no blog, e ultimamente tenho postado só resenhas, mas hoje o post é diferente!
Como sou periguete literária assumida e este ano me apaixonei várias e várias vezes por algum personagem, hoje vou contar para vocês quais foram!

O Zsadist de Amante Desperto sofreu muito durante sua vida, já foi escravo de sangue, e é o membro mais temido da Irmandade da Adaga Negra, temido por todos, mas ele esconde por trás da fúria uma vulnerabilidade que me cativou.

Ahhhh, o Archer, como amei o Archer! 
O Archer sem dúvidas foi um dos que teve o passado mais sofridos, ele perdeu a família, perdeu a voz e mesmo assim é extremamente apaixonante!

Mais um mudinho para a lista! O Dorian de Caçadores de Almas conquistou meu coração mesmo usando um capuz o tempo todo e não pronunciando uma palavra (ele foi amaldiçoado), o máximo que tive foram alguns vislumbres do sorriso lindo dele. 

Protagonista do último livro resenhado aqui no blog, Wes Carter é um detento mau humorado e extremamente inteligente e sexy, mas o que me conquistou mesmo foi a sofrência do passado dele, adoro um bad boy sofrido! E outro pondo à favor dele é que penso nele e vejo o Corey Taylor, e eu amo o Corey!

Impossível não amar um Maddox, e este livro do Thomas está muito bom!
Thomas é intenso, lindo, apaixonante! Foi meu último amor do ano!

Meu querido Nerd lindo! Mas o que me deixou apaixonada pelo Nathan foi o jeito encantador dele e o bom gosto musical (Legião)!

Antes dos Vinte ainda não foi publicado e eu não li inteiro no wattpad por conta da correria, mas é impossível deixar esse lindo debochado de calças mostarda que é o Pete de fora da minha lista!

Mas nunca que eu deixaria um mocinho da Carina Rissi de fora!
Dante Montini ganhou o título de "Meu Nerd Favorito". Ele é lindo, inteligente e só lendo o livro para vocês entenderem, ele se tornou um doa amores da minha vida!

E para finalizar a lista ele... o mais lindo... o mais encantador... o mais cavalheiro... Ian Clarke.
Meeeeu, a Carina Rissi sabe como deixar as leitoras apaixonadas, e o Ian se superou nesse livro por vários motivos que seria spoiler falar aqui!


Não peguei imagens porque não os imagino em nenhum ator/modelo, só o Wes que vejo como o Corey Taylor, então vou deixar uma foto do Corey aqui hahaha!


O que acharam das minhas escolhas? Quem vocês citariam na lista de vocês?







segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Resenha: Desejo Proibido, Sophie Jackson

Título: Desejo Proibido
Título Original: A Pound of Flesh
Autora: Sophie Jackson
Páginas: 416
Compre AQUI
Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim pela crescente atração entre os dois. Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.

Quando criança, Kat vivenciou algo terrível e dezesseis anos depois ainda tem pesadelos com os acontecimentos traumáticos.
Aos 24 anos e formada em literatura, Kat, que vem de uma família rica, decide trabalhar na penitenciária Arthur Kill dando aulas para os detentos, mesmo que todos à sua volta sejam contra.

Wes Carter não teve uma vida fácil e fez muitas escolhas erradas que o levaram a Arhur Kill, e para as aulas de Kat. Ele depende de um bom comportamento (coisa que sua personalidade explosiva não permite) para conseguir sua liberdade condicional.

A atração entre os dois é palpável, mas ainda assim (e no caso de Kat por questão de ética) eles relutam em admitir, e a atração só aumenta quando Kat começa a dar aulas particulares para Carter, que além de lindo, esquentado, mau humorado, é um cara muito inteligente.

Os dias vão passando e as circunstâncias vão mudando, e fica cada vez mais difícil para Kat resistir, e Carter por sua vez se vê em um conflito interno sobre contar ou não para Kat um segredo que pode mudar tudo entre os dois, afastando-a  ou trazendo-a para perto de vez.

Em meio as aulas com Carter, e a indecisão sobre o futuro com ele, Kat tem que lidar com as investidas de Austin Ford, o charmoso e um tanto sombrio cunhado de sua melhor amiga Beth.

Eles enfrentam muita coisa para tentar encontrar um lugar para o amor apesar dos medos, dos traumas e de todos que são contra qualquer relacionamento entre os dois.





EU AMEI ESTE LIVRO!

A Kat é uma mulher forte, que luta pelo que quer apesar da falta de apoio dos familiares/amigos.

O Carter, OMG! O Carter é um lindo, eu iria amar brigar com ele ahahahah! Com suas camisetas de bandas de rock (ADORO!) e seus coturnos (ADORO!²) e sua personalidade forte, ele esconde uma fragilidade tocante.

O romance é bonito e as cenas de sexo são bem colocadas no contexto da história, sem apelação e sem exageros.

A  narrativa é em terceira pessoa e dá uma visão bem ampla da história deste livro que já entrou para minha lista de favoritos!

Apesar de ser o primeiro de uma trilogia, exceto por pequenos detalhes, o livro não precisaria de sequência, o final foi muito bom!



Carter abriu os olhos e viu que o olhar de Kat se fixava nele, inocente e desejoso. Ela era um paradoxo.



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Resenha: Confissões de Inverno, Brendan Kiely

Título: Confissões de Inverno
Título Original: The Gospel of Winter
Autor: Brendan Kiely
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 224
Compre AQUI
À medida que sua família se desintegra, Aidan Donovan, um adolescente de 16 anos, procura consolo em estimulantes químicos, no estoque de bebidas do pai e nas atenções do padre Greg, o único adulto que realmente o escuta.
O Natal chega e seu mundo entra em colapso quando ele reconhece o lado obscuro do afeto que o padre Greg lhe dedica. Enquanto tenta dar sentido à própria vida, Aidan conta com o apoio de um grupo de amigos desajustados: Josie, a garota por quem se apaixona; a rebelde e espontânea Sophie; e Mark, o carismático capitão da equipe de natação.
Confissões de inverno mostra as formas pelas quais o amor pode ser usado como uma arma contra a inocência – mas também pode, nas mãos certas, restaurar a esperança e até a fé.
O corajoso romance de estreia de Brendan Kiely expõe o mal que os segredos mais profundos que guardamos podem causar e prova que a verdade liberta e abre caminho para o amor.


Penso, penso, penso e não encontro palavras para definir o que senti so ler este livro.
Confissões de Inverno foi um livro que me tirou da minha zona de conforto e me deixou no chão.

O livro conta a história de Aidan Donovan, um garoto de mais ou menos 16 anos, mora com a mãe e o pai os abandonou recentemente, mudando-se para a Europa. Aidan encontra conforto nas atenções do Padre Greg e também abusando do uso de medicamentos.
À partir do natal do ano 2001, tudo o que Aidan considerava seguro (o que era quase nada), começa a ruir.
Neste mesmo natal ele se aproxima de Josie, por quem se apaixona, e também de Mrk e Sophie, antes deles Aidan não tinha amigos.
O Padre Greg é pároco na Igreja Preciosíssimo Sangue, onde Aidan trabalha como voluntário, mais para ficar perto do padre do que por outra coisa.
Aidan está psicologicamente abalado com a ruptura de sua família, a indiferença dos pais, a falta de amor e o Padre Greg é o único que parece capaz de entendê-lo, e além da companhia do padre, Aidan compensa a solidão com drogas, bebida, isso alivia a dor. Assim ele se sente bem, mesmo que temporariamente.
Depois do natal é que ainda "desperta" e percebe quem realmente o padre é e o que vem acontecendo desde que o padre começou a lhe dar atenção e o falso conforto.
O padre se aproveitou de sua inocência, sua carência, sua necessidade de amor. O padre o violou, abusou de todas as formas possíveis e acreditou que aquilo era amor.
Quando Aidan descobre o que realmente estava acontecendo, ele fica mais confuso e mais solitário ainda, sua cabeça fica uma bagunça e ele não pode contar para ninguém, afinal, contando algo ele iria destruir a vida do padre, ele estava apenas doente. Probrezinho.
Mas e o Aidan? E a vida desse garoto, que o padre pode ter destruído?

Eu fique chocada, revoltada, li o livro com um nó constante na garganta, tive vontade de matar quando disseram para o Aidan que ele não poderia contar para ninguém porque além de destruir a reputação do padre e da igreja, ele prejudicaria a si próprio, afinal, o que pensariam dele? E é nisso que ele se apega para não contar o que aconteceu, ele tem medo do que seus amigos, sua mãe, Josie, a sociedade irá pensar dele, foi convencido de que pensariam o pior.

O que me deixou mais angustiada, foi que isso acontece na vida real, tantas vítimas se calam pelo mesmo motivo, tantas pessoas que sofrem os mais variados tipos de abuso e ficam com medo de falar, de denunciar por diversos fatores.

O livro mostra que não devemos negligenciar quem amamos, devemos proteger, cuidar, ficar de olho nos sinais, os pais de Aidan pecaram nesse sentido.

Se o amor cura tudo eu não sei, mas com certeza ele ajuda, se não superar, pelo menos passar pelos momentos difíceis, e é isso que Aidan encontra no decorrer da história. Amor, amor de verdade.

O livro é narrado pelo próprio Aidan e senti tudo jundo com ele.

Como eu disse, o livro foge totalmente da minha zona de conforto, mas foi uma leitura ótima apesar do que eu sofri lendo.

Apenas o final do livro deixou a desejar, pois ficaram algumas lacunas, perguntas sem resposta e não sei se terá continuação, espero que sim, pois quero saber o que houve com o Aidan.

Essa era a  verdadeira liberdade. Essa era a única segurança que podíamos oferecer uns aos outros: o que realmente significava amar e viver sem máscaras.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Resenha: Entre o Amor e a Vingança, Sarah MacLean

Título: Entre o Amor e a Vingança
Titulo Original: A Rogue by Any Other Name
Autora: Sarah MacLean
Editora: Editora Gutenberg
Páginas: 304
Livro cedido pela editora parceira
O que um canalha quer, um canalha consegue...
Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.
Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres. Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…
…até mesmo seu coração.


Penny é uma solteirona, mais velha de cinco irmãs.
Após ter um noivado rompido, um verdadeiro escândalo, porque o noivo estava apaixonado por outra e rejeitar alguns pedidos de homens que estavam apenas de olho em seu dote, Penélope quer algo mais que uma vida dedicada apenas a um marido que nem sabe se amará e se ele a amará também.
Michael, Marquês de Bourne, sonha com vingança desde que perdeu tudo no jogo alguns anos antes. Com muito esforço ele se reergueu e hoje é sócio do Anjo Caído, o maior cassino de Londres.
Penny e Michael foram amigos de infância, mas algo mudou até que eles perderam completamente o contato, porém Penny agora é a chance de Michael recuperar o que perdeu e obter sua vingança.
Michael não medirá esforços para atingir seus objetivos, afinal, quem se importa com os sentimentos alheios?
Só que Penélope também não deixará barato, e irá jogar para vencer.

Quem vencerá essa batalha? O amor ou a vingança?

Com uma pegada hot (nenhum cena de sexo desnecessária) e uma narrativa deliciosa, Entre o Amor e a Vingança é um romance de época apaixonante.

Com personagens marcantes, como o belo canalha que é Michael, que também pode ser doce e protetor, e Penélope, uma mulher decidida, que não aceita o que a sociedade lhe impõe e irá lutar pelo que deseja e pelos seus desejos.
Claro que temos personagens secundários interessantes como os sócios de Michael, as irmãs de Penny, mas aparecem pouco, então não falarei sobre eles para evitar spoilers.
O livro é narrado em terceira pessoa alternando o pontos de vista dos personagens, dando uma visão bem ampla sobre toda a trama e os sentimentos dos personagens.

Temos também algumas cartas que Penny e Michael trocaram no passado, o que nos possibilita saber como foi parte do passado deles.

Sem dúvidas é uma leitura que super recomento e mal posso esperar para ler o próximo livro que será sobre outro casal que já foi apresentado no final deste.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Resenha: A Playlist de Hayden, Michelle Falkoff

Título: A Playlist de Hayden
Título Original: Playlist For The Dead
Autora: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

Na manhã seguinte após uma briga com seu melhor amigo Hayden, Sam vai até a casa dele para se desculpar, só que ele encontra o amigo morto.

Hayden deixou apenas um pen drive com um bilhete para Sam escrito "ouça, você vai entender", nada mais, nem uma carta, nada para a família.

No dia do velório, Sam tem um desentendimento com um grupo que eles chamavam de A Trifeta do Bullying, do qual fazem parte Ryan, irmão de Hayden e mais dois amigos. Neste mesmo dia ao ir ao shopping. Sam conhece Astrid, uma garota que se diz amiga de Hayden e que ele não fazia ideia de existir.

Os dias vão passando, Sam se aproxima de Astrid, eles vão descobrindo que tem várias afinidades, faz novos amigos que são da turma de Astrid, porém coisas estranhas começam acontecer, como um misterioso jogador chamado Arquimago_Ged aparecer no Mage Warfar (jogo que ele jogava com o amigo), sendo que este nome era usado por Hayden, e este misterioso jogador conversa com Sam, como Hayden costumava conversar, ele tenta entender o que está acontecendo, porque parece apegar em alguns momentos.

A Trifeta do Bullying começa a ser atacada misteriosamente, e Sam com os apagões que vem tendo se questiona se ele pode ser ou não o autor dos ataques enquanto ouve a playlist e tenta descobrir o que levou Hayden a tomar a decisão de tirar a própria vida.

Quando li o livreto que a NC enviou com os primeiros capítulos, acreditei que fosse gostar mais do livro do que de fato gostei.
O Sam não me pareceu alguém que acabou de perder o amigo, apesar que eu nem sei como dever ser e cada um lida com a dor de uma forma diferente, mas simplesmente não comprei o peixe dele, além da culpa que ele dizia sentir. Quando foi revelado que que aconteceu fiquei tipo "WHAT?"

Quanto aos ataques à Trifeta cogitei várias possibilidades, o Sam sofrer de algum transtorno mental estava entre elas.

Sobre a playlist, imaginei que fosse fazer mais sentido do que fez, fiquei com a impressão que as músicas estavam lá apenas para enfeitar o livro, tinha algumas com letras tristes e tal, mas foi isso.

Enfim, o livro não é horrível, mas tinha potencial para ser melhor, se fosse melhor trabalhada a questão do bullying, coisa que não foi e do suicídio, do que ser focada mais nos conflitos internos e mimimis do Sam.

O livro tem uma narrativa fluída, em primeira pessoa pelo Sam e a diagramação do livro está super bacana, vejam nas fotos:








terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Resenha: O Despertar do Príncipe, Colleen Houck

Título: O Despertar do Príncipe
Título Original: Reawakened
Série: Deuses do Edito, livro 1
Autora: Colleen Houck
Editora: Editora Arqueiro
Páginas: 384
O despertar do príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia. Colleen Houck é autora de A maldição do tigre, série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil. “Os fãs de Rick Riordan vão se divertir com esta fantasia. Uma narrativa incrivelmente bem pesquisada com um ar de mistério e romance.” — School Library Journal Aos 17 anos, Lilliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth. Em O despertar do príncipe, Colleen Houck apresenta uma narrativa inteligente, cheia de humor e ironia.


Sou apaixonada pela Série do Tigre e confesso que fiquei com certo receio quando li a sinopse de O Despertar do Prínipe por ter aparentemente a mesma fórmula, uma garota, irmãos amaldiçoados e tal, mas também fiquei ansiosa, pois adoro a Colleen.

O receio que senti foi à toa. Em O Despertar do Príncipe, iremos conhecer a história da Liliana, uma garota rica que vive para fazer as vontades dos seus pais controladores.
Um belo dia, ela vai ao museu e vai sozinha para a área onde será a exposição egípcia e se depara com um sarcófago vazio e pegadas (que medo hahaha), e eis que surge um cara muito estranho, careca (e lindo), vestido de forma estranha, que se diz uma múmia que despertou para completar uma missão.

A ficha da Lily demora para cair e acreditar na verdade, que sim, o cara estranho na verdade e Amon, um príncipe egípcio, personificação do Deus Sol, que despertou para combater junto com seus irmãos Asten e Ahmose Seth, oObscuro.

No meio do caminho algumas coisas dão errado e Amon depende de Lily para completar a missão e juntos partem em uma aventura pelo Egito, para despertar Asten e Ahmose e tentar impedir Seth de dominar e destruir o mundo.
Interrompi a frase com um grito quando Amon começou a drenar energia de mim. Dessa vez foi um pouco diferente. Antes a sensação era de uma drenagem gradual, mas aquela sucção foi abrupta, dolorosa, como se alguém estivesse passando um aspirador de pó nas minhas entranhas.

Nem preciso dizer que amei o livro né?

Com uma narrativa fluída, em primeira pessoa pela Lily e em alguns pontos em terceira contando a origem dos irmãos, e um ritmo muito bom, a Colleen dá asas à nossa imaginação como sempre.

Gostei bastante de todos os personagens, o Amon é um lindo, alto forte, careca e muito amorzinho, Asten e Ahmose tem basicamnente as mesmas características de Amon, mas devo dizer que gostei mais do Asten que do Ahmose por conta do seu bom humor. E não poderia deixar de falar do Dr. Hassan (egiptólogo e vizir dos irmãos), ele os acompanha e os aconselha durante a jornada. E nessa trajetória, a Lily descobre muito sobre si mesma.

Ri muito com algumas trapalhadas da Lily e quando ela colocou A Múmia para o Amon assistir hahahaha!

E Colleen arrasou nas descrições de cenários mais uma vez, foi a primeira vez que li algo envolvendo o Egito e mal posso esperar para ler o próximo livro.






A capa do livro está linda demais e amei a diagramação, cheia de detalhes!



sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Sorteio: Livro Metamorfose da Vida

Olá pessoal!

Está rolando um sorteio do livro Metamorfose da Vida em parceria com a autora!



O sorteio será realizado pelo RANDOM, então é só seguir as regras para participar.

Regras:
  • Curtir a página do blog: A. Libri
  • Curtir a página do livro:Livro Metamorfose da Vida
  • Seguir o blog: Blog A. Libri
  • Compartilhar a imagem do sorteio no facebook (imagem do sorteio na página do blog)
  • Marcar 3 amigos nos comentários no facebook (imagem do sorteio na página do blog)
  • Após a realização do sorteio enviar um print das telas das páginas curtidas e blog seguido

O sorteio será realizado no dia 01/01 e o envio do prêmio será feito em até 30 dias.

Conheça o livro:

Em 1996, Vida Sinclair, uma jovem escocesa criada na isolada comunidade de Old Valley, se vê sozinha no mundo quando seus pais adotivos são assassinados. Ela descobre através de Brianna, uma tia misteriosa, que foi adotada porque a mãe biológica, sua irmã Bonnibelle, foi dada como morta num trágico acidente de automóvel, e que seu pai biológico é um antropólogo de quem não se tem mais notícias desde que partiu para o Brasil, em meados de 1979, a fim de pesquisar a aldeia indígena Karipós, embrenhada na floresta amazônica. No entanto, ele e seu colega de pesquisa Lazarus Lefréve se deparam com a aldeia inamawá, dos índios invisíveis. Depois de sofrer queda de uma árvore, Gordon nunca mais é visto. Vida cresce, tem a sorte de conhecer o Professor Lefréve, torna-se antropóloga e, aos vinte e cinco anos de idade, empreende uma expedição para encontrar o pai. Mesmo atingindo seu objetivo, ela se sensibiliza com a situação da tribo ameaçada pela ação predatória de uma madeireira ilegal. Juntamente, com Blake, um colega de turma por quem sempre nutriu os antagônicos sentimentos de atração e intolerância; José Antônio, seu vizinho português que cria um plano para acabar com a extração ilegal de madeira; e Amana Inamawá, sua meia-irmã índia, Vida descobre que apesar das distâncias, as ações de todos nós afetam até mesmo quem vive em outro continente, pelo fato de tudo estar ligado numa rede invisível tecida pelos Criadores. Os quatro jovens aventureiros têm a chance única de conversar com o primeiro Criador. Segundo a lenda inamawá, há mais de um deus ou criador, incorporados às árvores das florestas, por isso são consideradas sagradas e devem ser preservadas. Estórias fabulosas, desencontros, encontros, romance, violência e conflitos sociais movimentam a vida de Vida Sinclair e dos demais personagens.

Resenha AQUI.

É só seguir as regras e boa sorte!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Resenha: Dezesseis - A Estrada da Morte, Simone Pesci

Título: Dezesseis - A Estrada da Morte
Autora: Simone Pesci
Editora: Tribo das Letras
Páginas: 318
João Roberto, conhecido por todos como Johnny — O Rei dos Pegas — acabara de completar “Dezesseis”. Estereotipado como “rebelde sem causa”, levava uma vida desregrada, ao lado dos amigos, mostrando-se o cara legal e o maioral. Desejado por muitas garotas, sempre vencia os rachas que participava. Porém, ele não contava com um sobressalto do destino... Assim, apaixonou-se por Ana Cláudia, uma linda e doce garota que se tornaria sua salvação, bem como sua perdição. Dentre tantos conflitos e percalços para ficar ao lado de seu grande amor, Johnny entra de cabeça em uma disputa com destino à estrada da morte.
Inspirado na canção “Dezesseis” — da banda brasileira Legião Urbana — este é um enredo de amor recheado com muitas aventuras.
Apaixone-se, retorne no tempo, relembre seus “Dezesseis”... e seja, você também, um “rebelde sem causa”...


João Roberto era o maioral
O nosso Johnny era um cara legal

Ele tinha um Opala metálico azul
Era o rei dos pegas na Asa Sul
E em todo lugar
-Trecho da música Dezesseis

Esse é o João Roberto... Um garoto de 16 anos que vive a vida intensamente, regada à álcool, maconha e muita, muita adrenalina.
Johnny mora com a mãe, estuda (quando lhe dá na telha) e trabalha em uma oficina mecânica.
Sua vida sofre uma reviravolta quando conhece Ana Cláudia, uma linda garota que veio para mudar algo dentro dele, mas infelizmente é filha de seu nêmesis, o delegado.
Os dois irão enfrentar muitas barreiras para conseguir viver esse amor, uma delas é Samuel filho da puta do prefeito.
Antes de conhecer Johnny, Ana era muito próxima do Samuel, que costuma ter o que quer, sem se importar com as consequências, e fará de tudo para atrapalhar a vida do casal.

Mas a pergunta que não quer calar é: por que tanta gente é contra o relacionamento de Ana Claudia e João Roberto?

Segredos serão revelados, vidas serão transformadas...
Sorrimos sabendo que aquele seria um dia bom. Descobrimos uma afinidade, que, a cada segundo, era mais visível, expandindo-se de maneira avassaladora. Era como se já nos conhecêssemos há tempos.

Bom, para quem conhece a música o final do livro não é surpresa, o surpreendente está em como a Simone conduziu a história para chegar ao final.

O livro é inspirado na música da Legião, mas pode ser considerado uma releitura de Romeu e Julieta, e o resultado ficou muito bom.

Me emocionei em vários momentos e senti a tensão dos personagens em tantos outros, assim como muita raiva daquele maldito delegado.

Os personagens são bem convincentes, o delegado, a mãe do Johnny, seu grupo de amigos super leais, o Sammy, a Ana que é um anjo, como o próprio Johnny a apelida com razão, ela é uma pessoa incrível e o Johnny é um caso à parte, bonito, charmoso, intenso (só achei ele meio exagerado e dramático em alguns momentos) e eu definitivamente não conseguia vê-los como jovens de 16 anos.

A Simone fez um belo trabalho contando sua versão da história por trás da música e só posso parabenizá-la por isso.

O livro é narrado em primeira pessoa principalmente pelo Johnny, com alguns capítulos narrados pela Ana e pelo Samuel.
A narrativa é leve e flui super bem.

E sobre a diagramação do livro: simplesmente não tenho palavras! está um espetáculo, vejam nas fotos:



 





Lindona essa diagramação né?


Se você não conhece a música e não gosta de spoilers então nem ouça agora...

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © A. Libri | Layout e personalização por VR Design