Perdida - Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo

Autora: Carina Rissi
Editora: Versus
Páginas: 364

Sinopse:

Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam.
 Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. 
Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...
 Perdida é uma história apaixonante com um ritmo intenso, que vai fazer você devorar até a última página.

Sabe aquele livro perfeito (mais que perfeito) que você não consegue e não quer parar de ler?
Me senti assim ao ler Perdida.

 A história é linda, os personagens encantadores, a Sofia, é engraçadíssima, a forma como ela retrata o chefe (que por sinal eu me identifiquei muuuuuuito, hihihi), a forma como ela é tão dependente da tecnologia, das facilidades da vida moderna e acaba indo parar no meio do nada em 1830, e fica horrorizada com os costumes da época, o vestuário, a falta de alguns recursos que possuía em 2010, como microondas, computador, celular, banheiro...banheiro?? Sim, não havia banheiro, apenas aquelas casinhas, de madeira, com um buraco (eca!).
O que a Sofia não sabia era como viver sem sua vida moderna no século XXI, sem Nina, sua melhor amiga, na verdade praticamente uma irmã, já que foi ela que apoiou Sofia em todos os momentos importantes da sua vida e em um momento especialmente delicado, e que voltaria a ajudar futuramente quando chegasse a hora certa.
Mas ela também não se conhecia verdadeiramente, apesar de já ter saído com alguns caras, ela nunca havia de fato se apaixonado, o que a faz estranhar e confundir as sensações que tem ao ficar perto do Ian.
Nessa jornada de autoconhecimento, Sofia se dá conta de tudo que estava fora do lugar em sua vida, coisas que faltavam, coisas que não precisava, e é em meio a muitas risadas (de verdade, já estavam achando que eu estava louca rindo sozinha, ops com a Sofia), e algumas partes tristes (Jesuuuus, nunca tinha chorado desse jeito com um livro), que acompanhamos a descoberta de Sofia de qual é seu lugar no mundo, ou no tempo, e que nem sempre o que queremos é realmente o certo ou o melhor.

Bom, por hoje é isso, espero que tenham gostado!
Bjs




0 comentários:

Postar um comentário

Google+ Followers

Tecnologia do Blogger.